Preprint / Version 1

Unequal affections: social markers and affection in early Childhood Education

##article.authors##

DOI:

https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.7699

Keywords:

affection, inequalities in educational opportunities, discrimination

Abstract

This work addresses affectivity as one of the components of teaching-learning relationships in Early Childhood Education. More specifically, it discusses the repercussions of different social markers (gender, race/color, and the presence of disabilities or neurodevelopmental disorders) on expressions of affection towards children in the initial stage of basic education. Drawing on the theoretical contributions of Henri Wallon regarding affectivity as a form of interaction with the environment, as well as social childhood studies, the aim was to ascertain whether certain children, based on their characteristics, were more likely to be the target of affectionate demonstrations by teachers and other adults present in the classroom, while others, also due to their specificities, tended to be treated with indifference and lack of affection. An ethnographic type of observation was conducted in Early Childhood Education institutions in a municipality in the metropolitan region of Belo Horizonte (Minas Gerais/Brazil). An association was identified between the children's profiles and the greater or lesser presence of verbal and non-verbal expressions of affection, as well as the persistence of different forms of discrimination and physical and symbolic violence towards the children.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

Author Biographies

Daniel Santos Braga, Universidade do Estado de Minas Gerais

Professor de Políticas Públicas de Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação e Formação Humana da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais (FaE/UEMG) e do Departamento de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais - Unidade Ibirité. É Pesquisador PQ UEMG e um dos coordenadores do Laboratório de Alfaletrar e Políticas para Infâncias (LAPIS/UEMG).

Caroline Santana Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais

Graduanda em Pedagogia pela Universidade do Estado de Minas Gerais - Unidade Ibiri´té. É bolsista de Iniciação Científica e membro do Laboratório de Alfaletrar e Políticas para Infâncias (LAPIS/UEMG). 

Gabrielle Vitória Mari Lopes, Universidade do Estado de Minas Gerais

Graduanda em Pedagogia pela Universidade do Estado de Minas Gerais - Unidade Ibiri´té. É bolsista de Iniciação Científica e membro do Laboratório de Alfaletrar e Políticas para Infâncias (LAPIS/UEMG). 

Andreia Pimenta Araujo Nunes, Universidade do Estado de Minas Gerais

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado de Minas Gerais - Unidade Ibirité (2022). Atualmente é Técnico universitário- Assessoria da Direção Acadêmica da UEMG Ibirité e membro do Laboratório de Alfaletrar e Políticas para Infâncias (LAPIS/UEMG)

Maria Ângela Barros de Carvalho, Universidade do Estado de Minas Gerais

Possui especialização em psicopedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1996) e mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2018). Atualmente é professora da Universidade do Estado de Minas Gerais - Unidade Ibirité e especialista da Secretaria de Educação de Minas Gerais. É membro do Laboratório de Alfaletrar e Políticas para Infânicas (LAPIS/UEMG)

Posted

01/02/2024

How to Cite

Braga, D. S., Silva, C. S., Lopes, G. V. M., Nunes, A. P. A., & Carvalho, M. Ângela B. de. (2024). Unequal affections: social markers and affection in early Childhood Education. In SciELO Preprints. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.7699

Section

Human Sciences

Plaudit

Data statement

  • The research data is available on demand, condition justified in the manuscript